O calendário nos indica apenas o dia e ano em que estamos, mas não é capaz de dizer como foi nosso ano até aqui, uma vez que cada um de nós teve neste período uma percepção de tempo de uma forma diferente, muito particular.

Muitas pessoas acreditam ainda que o tempo passa do mesmo jeito para todo mundo. Este foi um senso comum defendido até por Isaac Newton, considerado o pai da ciência moderna. Mas, outro gênio, chamado Albert Einstein, percebeu que esta teoria não estava certa, uma vez que o tempo corre de forma diferente.

Einstein foi além e defendeu que o tempo não é um rótulo para todo universo. Esta constatação nos deu uma imagem muito rica na qual cada um tem seu próprio tempo que corre a um ritmo particular.

Responda rápido: qual foi a percepção deste ano até agora? A maioria das pessoas nem sequer percebeu o fim deste período. Isso porque continua com os mesmos medos, as mesmas dúvidas. E os sonhos? Agendados para algum dia!

Desculpe-me se estou sendo invasivo demais, mas se você chegou até este parágrafo do artigo é porque, provavelmente, de alguma forma tem alguém aí dentro de você que clama por dias melhores e que há muito tempo vem te incomodando e pedindo para viver uma vida realmente digna, prazerosa, autêntica e, principalmente, baseada em seus sonhos e motivos e não os dos outros.

Para tanto, você sabe que tem que haver uma certa pressão criada por você mesmo, uma pressão que tire você da zona de conforto, que te desafie. Trata-se de uma pressão positiva que irá contribuir com a sua expansão e o seu crescimento. Afinal, somente quando somos postos a prova, quando realmente nos incomodamos é que nos transformamos. Enquanto você estiver 100% confortável, não se iluda. Não haverá mudanças!

Neste contexto, a humanidade é muito parecida. Não importa aonde chegamos ou quanto evoluímos. Queremos muito mais e, por isso, eu e você somos muito parecidos: não estamos dispostos a esperar que algo acidentalmente ocorra para realizarmos nossos sonhos, para sermos especiais e importantes, para que nossa vida tenha significado, propósito.

Queremos uma vida que possa ser chamada de vida de verdade, que não propicie apenas a sobrevivência e o pagamento das contas. Queremos – e podemos procurar – uma vida com propósito, com entusiasmo juvenil, com gosto. Uma vida que perceba o tempo não como carrasco, não com estresse, mas com aquela pressa por saber que tem tantas coisas boas para fazer que eu até gostaria de ter mais tempo.

Sabemos o quanto é fácil fazer promessas num momento de euforia e pensar que este ano tudo vai ser diferente e que você vai fazer acontecer, mas você sabe que esta é a vida ideal que deveríamos ter e que, infelizmente, a grande maioria das pessoas só assiste no cinema, só encontra nas páginas de um livro ou se ilude nas promessas que faz ao longo do ano.

Isso ocorre porque passado este momento de euforia de quando se fez as promessas descobrimos o quanto é difícil fazer e manter isso no dia a dia e o quanto é mais fácil apenas virar o calendário de novo e ver a vida avançar no “piloto automático”. Desta forma, os sonhos são adiados mais uma vez, por muito, muito tempo.

Que tal você, então, declarar que terá no final deste ano uma passagem para 2014 muito superior a todas que teve até hoje? Pense nisso! Busque uma forma diferente para obter resultados diferentes.

Orlando Augusto - É Palestrante, Trainer e Psicoterapeuta especialista em Alta Perfomance há mais de dez anos. Ministra o treinamento Os Super Humanos (www.ossuperhumanos.com.br), que utiliza o que existe de mais atual na ciência do comportamento humano num mix de tecnologias.

Também poderá gostar de...

0 Comentários