Procurar por empresas e corretores idôneos garantem tranquilidade durante a negociação e diminui chances de golpe

Oito a cada dez famílias brasileiras pretendem comprar a casa própria nos próximos dois anos, o que equivale a 7,9 milhões de pessoas, conforme pesquisa do Instituto Data Popular. Entretanto, em muitos casos, o sonho se transforma em pesadelo. Os principais aborrecimentos são o atraso na entrega (70%), taxas do Serviço de Assistência Técnico-Imobiliária - SATI (15%), corretagem (10%), problemas no imóvel e vícios ou defeitos na obra (5%). Algumas medidas podem ser tomadas pelos consumidores para evitar essas situações, principalmente, relacionados a imobiliárias e corretores.

A corretora da imobiliária RE/MAX Class, Liliana Lobo afirma que é preciso atenção para observar alguns detalhes fundamentais ao comprar um imóvel, ou de colocá-lo à venda para evitar dor de cabeça. “A principal dica nesse caso é verificar se a imobiliária é idônea e possui cadastro no CRECI, além do registro na Junta Comercial, Receita Federal, Prefeitura, INSS e sindicato Patronal, deixando claro sua seriedade e confiabilidade no mercado. Outra informação vital é confirmar se o corretor possui o cadastramento no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI) do estado, demonstrando profissionalização e segurança para quem precisa do serviço”, destaca Liliana.

Ela também esclarece que só assim é possível garantir que será atendido por um profissional qualificado e que irá oferecer uma completa gestão imobiliária, como conhecer as variadas formas de financiamento habitacional, estar atualizado com as mudanças na legislação, ter amplo domínio do mercado e de sua evolução, conhecimento do direito imobiliário, documentação, noção de construção civil e arquitetura, dentro outros, que irá contribuir para o correto desenrolar da negociação. “É importante também que o consumidor desconfie de ofertas mirabolantes, preços muito abaixo do mercado, comissão abaixo dos valores definidos pela legislação, profissionais sem registro, corretores que mostram só as vantagens do imóvel e omitem informações que podem causar transtornos futuros, que não possuem uma postura honesta e transparente com todas as partes envolvidas. Nesse momento aparecem diversos aproveitadores e é preciso ficar atento para não cair em golpes e falsas promessas”, observa Liliana.

A venda exclusiva do imóvel também é uma opção para quem busca maior segurança no negócio. Ela explica que utilizar muitas imobiliárias ao mesmo tempo pode acarretar uma série de inconvenientes, como visitas sem autorização, especulação, visibilidade negativa para o imóvel, informações falsas, furtos, fraudes em contratos, já que o proprietário do imóvel passa a documentação para várias imobiliárias, comprometendo o controle. “A exclusividade garante maior eficácia na execução da atividade profissional, pois tem um planejamento específico, divulgação intensa e direcionada e permite elaborar estratégias, cujo escopo final é a satisfação plena dos clientes”, orienta.

Também poderá gostar de...

0 Comentários