O recurso e a relação é humana. Seja com o cliente interno ou externo, e sujeito a emoções. E identificar medos e fobias coletivas dentro da organização faz a diferença para o design organizacional.

Não somos irracionais e nem racionais sempre. Apenas somos emocionais, com alguns momentos de racionalidade.

Fobias Corporativas são todas as formas de fobias ocorrentes no ambiente ou no exercício do trabalho, nas relações internas e/ou externas de uma empresa.

Fobia é uma designação comum a diversas espécies de medos, tendendo à morbidez, e de nojo, aversão ou repugnância. Os aspectos irracionais se apresentam tanto na origem da fobia, quanto na intensidade das reações causadas por ela. Os portadores de fobias podem temer algo do qual ninguém normalmente teria medo, seja fundado ou infundado, ou ser tomado pelo pavor numa situação que exigiria somente cautela.

As fobias se manifestam quando certos objetos, tipos de objeto ou situações se fazem presentes, são imaginados ou mencionados.

As fobias produzem desde temor, aversão e insegurança, até repugnância, hostilidade instintiva, abominação e terror.

Fobias corporativas são classificadas em três grupos:

• Individuais / quando afetam apenas um único colaborador.
Exemplo: Glossofobia, o medo de falar em público.

• Coletivas - comuns a várias pessoas ou grupos, classificadas em três subgrupos.

Nuclear (afetam duas ou mais pessoas em um setor)
Exemplo: Eleuterofobia, medo de assumir responsabilidades.

Departamental (afetam grupos ou pessoas de mais de um setor),
Exemplo: Harpaxofobia, medo de ser assaltado.

Organizacional (afetam quase a totalidade dos grupos da organização).
Exemplo: Anergofobia, medo de perder o emprego.

• Corporativas - atinge o comportamento da empresa ante ameaças internas e/ou externas.
Exemplo: Neotecnocaosfobia, pavor das novas tecnologias, da convergência digital.

• Existem formas mistas.

A sua ação

Assim como as fobias pessoais do ser humano, as fobias corporativas existem, devem ser identificadas, avaliadas e tratadas especificamente. Fobias corporativas não tratadas trazem inércia, fuga, dissimulação, desvio e ocultação. Além de inibir do bom desempenho, do crescimento, da inovação e do clima organizacional saudável.

Não cuidadas chega poder determinar a paralisia funcional e comercial do negócio, até a sua falência.

Vamos tentar identificá-las? Vamos combatê-las? Ou falar disto em sua organização é tabu?

Pra começo de conversa, devemos identificar e classificar as fobias corporativas.

Para isto, é necessária a pesquisa das Fobias Corporativas em seu ambiente e também ser seletivo no recrutamento. Uma monitoria permanente deste clima organizacional pode ser feita por consultores internos ou externos.

Em seguida é à busca de profissionais (psicólogos, consultores comportamentais, psicodramatizadores, coaching ou facilitadores) que façam os fóbicos enfrentarem o objeto do medo.

Ou será que ainda se acreditam que tapar o sol com peneira é a única solução?

Igor Rafailov - Colecionador de fobias, design thinker, pesquisador de clima organizacional, piloto planador e autor do Dicionário de Fobias. @dicionariodefobias

Também poderá gostar de...

0 Comentários