Com as constantes mudanças e aumento na competitividade entre empresas, é cada vez mais importante uma gestão eficiente e diferenciada, principalmente para as companhias de médio porte, que enfrentam uma concorrência direta de grandes instituições do mesmo setor.

Para se adequar ao mercado competitivo, é preciso se diferenciar em ações e programas voltados, em especial, para aqueles que são os verdadeiros responsáveis pelo desempenho e crescimento da empresa: os funcionários.

Além de uma administração consistente, uma gestão eficiente envolve todo o controle das atividades e metas realizadas pela equipe a partir de um planejamento prévio proposto aos colaboradores. O controle financeiro é também outro ponto extremamente necessário para que os executivos tenham noção do investimento que podem ou não fazer em programas “extras” voltados aos funcionários.

Neste aspecto, infelizmente, para muitos empresários, a gestão financeira está limitada apenas ao ‘contas a pagar e receber’ ou aos benefícios padrões. É necessário que os executivos, que os líderes das companhias mudem o pensamento tradicional e inovem em benefícios, diferenciando-se realmente das demais empresas.

É preciso desmistificar o fato de que apenas grandes companhias realizam ações internas voltadas aos funcionários. Não é verdade. Empresas de todos os portes podem e já as fazem. Muitos desses programas representam apenas 2% do faturamento e, em termos de resultados, principalmente os de médio a longo prazo, podem ser considerados os fatores que definem a força para a expansão do negócio.

Muitos gestores se preocupam apenas com quanto cada ação ou programa custará, quando, na verdade, deveria avaliar o custo, aliado ao que proporcionará à equipe e ao que reverterá em benefícios e crescimento para a própria empresa. É um ciclo virtuoso. Assim, desde ações simples, como uma manicure para as mulheres e partidas de futebol para os homens, as mais cobiçadas, como festas e viagens internacionais, são fatores determinantes para uma equipe mais unida e comprometida com o bom desempenho da empresa.

Podemos dizer que os colaboradores que têm a oportunidade de participar de tais programas se inspiram e criam um sentimento de exclusividade com a empresa. Fato que podemos analisar no trabalho diário e resultados da própria companhia. Portanto, “o segredo” para que as companhias desenvolvam uma gestão eficiente e diferenciada está no trato e nos investimentos em pessoas.

O chamado engajamento por gestão de valor também exige que o executivo acompanhe e se envolva no desenvolvimento dos colaboradores, identificando e trabalhando pontos fortes e fracos de cada funcionário. Assim, talentos serão valorizados e novos líderes formados.

Estes pontos, com certeza, são os fatores de maior diferencial em termos de gestão empresarial. Tendo em vista que, atualmente, passamos a maior parte do tempo útil de nossas vidas no ambiente de trabalho, qualquer profissional irá almejar fazer parte de uma empresa na qual além de desempenhar suas funções, seja feliz e se sinta bem. Nos dias de hoje, a humanização, de fato, é o grande diferencial competitivo.

Diego Torres Martins - É presidente da Acesso Digital, empresa de digitalização de documentos que - em cinco anos de existência - já figura como a segunda melhor empresa para se trabalhar em TI e Telecom do Brasil (e a 1ª 100% brasileira).

Também poderá gostar de...

0 Comentários