Foco na gestão e aprimoramento dos profissionais interessados na continuidade dos negócios tem se tornado comum, principalmente nas empresas de constituição familiar. No segmento contábil, por exemplo, a formação dos profissionais que irão gerir a companhia no futuro é importante em 80% dos casos.

Maior parte das empresas de contabilidade consultadas ainda está na primeira geração e 64% dos possíveis sucessores têm mais de 21 anos, de acordo o estudo conjunto realizado pela Trevisan Escola de Negócios e Unisescon - Universidade Corporativa do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento (Sescon-SP). Em 58% dos casos pesquisados, há filhos ou sobrinhos com interesse no negócio.

Para José Chapina Alcazar, presidente do Sescon-SP, a preservação do negócio demonstra compromisso com o cliente. “Investir na formação de gestores bem preparados é fundamental para alcançar a excelência na prestação de serviços e se manter competitivo.” Segundo o levantamento, 42% dos profissionais interessados na sucessão das empresas de contabilidade são bacharéis ou estão cursando graduação em Ciências Contábeis. “Com a expansão do mercado empresarial, o setor contábil está cada vez mais aquecido e o profissional ampliou suas competências, atuando junto à gestão do negócio dos clientes”, explica Chapina Alcazar.

Geração de comando
1ª geração - 79%
2ª geração - 13%
3ª geração - 1%
Aquisição - 7%

Idade dos possíveis sucessores
Acima de 21 anos - 64%
De 17 a 20 anos - 13%
Menos de 16 anos - 23%

               

Também poderá gostar de...

0 Comentários