Uma apresentação bem feita vai além do domínio do conteúdo. É preciso, antes de tudo, conhecer seu público e saber como interagir com ele para fazer com que a informação seja transmitida e retida.

A Dra. Susan M. Weinschenk, PdD, especializada em design de interface persuasivo, neuropsicologia, design centrado no usuário e diferenças geracionais, escreveu o livro “100 Things Every Presenter Needs to Know About People”, que inspirou o vídeo “5 Coisas que Todo Apresentador deve saber sobre pessoas”. Nele, são destacadas algumas características que devem ser levadas em conta pelo apresentador a fim que sua apresentação atinja os objetivos.

Considerando que uma apresentação tem sempre dois lados: um que fala e um que ouve, é imprescindível pensar a apresentação de forma a apresentar ideias para outras pessoas. Já ouviu aquela frase: “Ah, ele sabe muito, mas não sabe transmitir”? Então, não adianta saber e não se fazer entender!

O primeiro passo é estruturar o raciocínio e a apresentação em blocos de 20 minutos cada, pois as pessoas mantêm o nível de atenção e retêm melhor o conteúdo. É nesse espaço de tempo que você precisa ser brilhante! Se o tema for extenso e demandar uma apresentação de 1 hora, por exemplo, intercale períodos de pergunta e resposta , coffee break ou exercícios.

Outra dica importante é que múltiplos canais sensoriais competem entre si e numa apresentação o público usa a audição e a visão. A preocupação com o conteúdo dos slides deve ser criteriosa, uma vez que as informações descritas devem ser mais visuais do que textuais. Não é aconselhado usar os slides como notas para o apresentador. Se precisar de lembretes, utilize cartões de mão ou apenas palavras e números de referência para ajudar a lembrar.

Os slides devem ser um apoio para o discurso, apresentando imagens que exemplifiquem ou complementem a informação da fala. Um bom roteiro de apresentação ajuda a definir a ordem das informações e as imagens que podem representá-las.

As pessoas prestam também muita atenção no gestual e no tom de voz. Esteja preparado para falar com a entonação que deseja que a mensagem seja percebida, pois o aprendizado leva segundos e uma entonação que desagrade pode desviar a atenção do público ou fazer com que seja mal interpretado.

Algo que vale lembrar é que se quiser que o público faça algo deve convidá-los para tal. Por exemplo, se quer que façam perguntas num determinado momento, deixe claro que está aberto para elas, se quer uma doação ou vender algum produto, diga!

Assim como o slide, postura e feição também devem estar de acordo com o tema. As pessoas têm a tendência a imitar os sentimentos e ações que presenciam. Se você está empolgado com o tema, demonstre, a plateia vai perceber e ser influenciada também por isso. Coloque energia na fala e vai contagiar todo o público.

Também poderá gostar de...

0 Comentários