O mercado de games e as diversas utilizações desta plataforma no meio empresarial estarão no centro das discussões do Seminário Marketing 2.0: Content, Mobile & Games, que será realizado em Curitiba (PR) nesta semana, dias 31 de agosto e 1º de setembro.

O empresário Mitikazu Lisboa, da desenvolvedora de games Hive, fará a palestra “A explosão do mercado de games”, às 14 horas do dia 1º. Ainda há vagas para o evento e inscrições podem ser feitas pelo site www.mkt20.com.br. A promoção é da Universidade Federal do Paraná.

Confira a entrevista com Mitikazu Lisboa sobre o assunto:

De que maneira as empresas podem usufruir dos games para alavancar os seus negócios?

Mitikazu Lisboa - Existem três meios básicos, o in-game advertising (inserções publicitárias dentro de games já existentes), o advergaming (criação de um game para uma campanha ou plataforma de comunicação) e a gameficação (utilização de mecânicas de games em plataformas que não são necessariamente games).

As agências e anunciantes estão cada vez mais cientes do potencial do mercado de games ou elas ainda estão resistentes?

As agências e anunciantes entendem que games, como o maior mercado de entretenimento do mundo, são uma plataforma efetiva para sua comunicação, mas muitas ainda não sabem ou tem receio de utilizar. Mas é notável que os anunciantes mais engajados e inovadores já começam a construir cases bem interessantes nessa área.

Neste mundo digital é muito difícil sermos fiéis a uma marca ou até mesmo ficar por muito tempo em um mesmo site. Isso não acontece com os games, que possuem índices altos como tempo de engagement e um número grande de jogadores impactados. Como se explica esse sucesso?

Os games por natureza são plataformas que precisam de três pilares para serem bem sucedidos: viralidade, retenção e engagement, e isso é tudo o que uma marca deseja em ações online. Então, nada mais natural do que o uso da plataforma para finalidades de branding.

Os profissionais de marketing e administração estão preparados para lidar com o potencial da indústria de games como plataforma de mídia? Qual o perfil do profissional que está sabendo lidar com os games?

No Brasil ainda são raros os casos destes profissionais, acredito que seja pelo fato de os games lidarem com métricas que nem sempre são os tradicionais views de um banner ou os likes de uma Fan page. Os profissionais que mais conseguem desenvolver cases de sucesso são os que entendem o tamanho do mercado de games, e as mecânicas intrínsecas à plataforma

Poderia citar alguns exemplos do sucesso da utilização de games em áreas pouco usuais, como medicina e outras?

Games têm uma ampla aplicação no mundo, desde funções corporativas e acadêmicas, como games que ensinam competências específicas para executivos até games com sensores de movimentos usados em fisioterapia para terceira idade.

Como o Brasil está posicionado no mercado mundial de games e quais as características do nosso mercado?

O Brasil vive um bom momento no mercado de Games. A Hive é a maior desenvolvedora de games do Brasil, e muitas outras estão se desenvolvendo, principalmente, das plataformas sociais e mobile. Hoje o Brasil já movimenta algo perto de 2 a 3% do volume total do mercado, e aponta para um crescimento ainda maior.

Outros temas ligados a games e que serão abordados no Seminário Marketing 2.0 são: “Games Corporativos”, com Felipe Azevedo e “Games e Sustentabilidade”, com Carlos Piazza "Games e Storytelling" com Bruno Scartozzoni.

Evento:
Seminário Marketing 2.0 – Content, Mobile & Games
Data: 31/08 (sexta) e 01/09 (sábado)
Horário: Das 18h às 22h30 (Dia 31) e das 9h às 12h30 e 14h às 18h40 (Dia 1º)
Local: Auditório da Fiep – Jardim Botânico
Inscrições: R$ 425,00. Estudantes, professores e idosos pagam meia-entrada.
Inscrições: www.mkt20.com.br
Twitter: twitter.com/mkt20br
Facebook: facebook.com/mkt20br

               

Também poderá gostar de...

0 Comentários