Os clientes sempre estão em busca de soluções para reduzir o consumo de energia. As razões para isso são tanto econômicas quanto ambientais. Os custos de energia estão em ascensão e a demanda deverá dobrar até 2050. Ao mesmo tempo, há a necessidade de reduzir as emissões de CO2, para proteger o planeta das mudanças climáticas.

Mesmo diante desse cenário, podemos ser otimistas em relação à energia quando olhamos para as oportunidades que a urgência das mudanças climáticas criaram neste mercado. A melhora da eficiência energética e a redução dos custos operacionais podem trabalhar juntos para produzir um corte significativo nas emissões totais.

A eficiência energética economiza energia, reduz custos e, consequentemente, reduz emissões de CO2. Atualmente, as soluções competitivas disponíveis fornecem um retorno de investimento rápido em grande parte das instalações. Por isso, a eficiência energética pode ser considerada como a maneira mais econômica, mais fácil, mais rápida e mais eficiente para que governos, empresas e cidadãos enfrentem suas questões energéticas.

Para governos, a eficiência energética ajuda a reduzir emissões de carbono e a cumprir as metas de redução previstas em legislações locais ou protocolos globais. Ela oferece apoio às políticas ligadas à energia ao resolver questões de segurança energética, além de possibilitar o gerenciamento entre produção e demanda de energia, assim como a redução das despesas de consumo energético.

Com relação às empresas, a eficiência energética ajuda a reduzir a pegada de carbono e, assim, abordar as preocupações ambientais de todas pás partes interessadas. No caso dos consumidores, em suas casas, permite que façam algo pelo planeta. Hoje, não é possível definir uma estratégica energética sem inclusão da eficiência energética dentro do contexto.

Tornando a mobilidade mais verde e eficaz

A integração dos veículos elétricos (EVs) no transporte e no cenário energético de hoje deve ser algo seguro e inteligente. A transição para os veículos elétricos não pode mais ser ignorada, pois seus benefícios são muito grandes.

Obviamente, embora o investimento inicial ocorra mais em veículos elétricos, as vantagens incluem a percepção imediata da redução de custos com combustíveis e congestionamentos, bem como menor manutenção e custos de seguro.

Devido às preocupações relativas à infraestrutura de suporte a esse crescimento, nos envolvemos recentemente no lançamento da primeira rede de recarga rápida do Reino Unido. Os pontos de recarga estão sendo colocados em postos de rodovias em todo o país, permitindo que os motoristas recarreguem completamente uma bateria descarregada em cerca de trinta minutos.

Como uma smart grid fica mais inteligente

As redes de distrribuição elétrica atuais são muito semelhantes àquela de um século atrás, transportando eletricidade de usinas elétricas centralizadas até os usuários em suas residências, prédios e instalações. Mas, agora, a rede de distribuição está passando por uma revolução. A demanda energética continua a crescer. As emissões de carbono precisam cair e a produção de eletricidade é uma grande emissora de carbono. Há cada vez mais fontes de energias renováveis que são, por natureza, intermitentes e, por projeto, distribuídas. Além disso, as infraestruturas estão envelhecidas, sobrecarregadas ou precisam de uma grande manutenção.

Portanto, a rede deve ser mais inteligente para se adaptar a este ambiente mais complexo e em constante modificação. Uma red mais inteligente resulta no fornecimento mais inteligente (com a integração eficiente de fontes de energias renováveis e distribuição flexível) e demanda mais inteligente (locais e residências energeticamente eficientes conectadas à rede), com uma resposta para balancear geração, demanda e consumo.

Com a integração de fontes renováveis, veículos elétricos, eficiência energética e gestão energética em tempo real, as concessionárias de energia agora enfrentam um novo desafio: adaptar constantemente suas redes para torná-las mais seguras, mais eficientes e mais flexíveis, ou seja, ‘mais inteligentes’.

      

Também poderá gostar de...

0 Comentários