Você sabe se proteger de fraudes com o seu dinheiro? Já foi convidado a participar de uma pirâmide milionária? Já desconfiou de uma aplicação financeira que prometia alto rendimento sem nenhum risco? O esquema de pirâmide perpetrado por Bernard Madoff, nos Estados Unidos, causou um rombo de US$ 18 milhões aos seus investidores. O esquema de Allen Stanford repercutiu em toda a América Latina e afetou 28 mil vítimas em vários países. No Brasil, não é raro surgirem casos relacionados a correntes milionárias ou fraudes em investimentos bancários envolvendo empresas tradicionais e até pessoas conhecidas. No artigo em anexo, o executivo Stephen Horan, Chefe de Relações com Universidades e Private Wealth do CFA Institute, dá dez dicas de como evitar fraudes nos seus investimentos.

Dicas

1. Compreenda claramente a estratégia de investimento

O respeitado gerente americano de portfólio, Peter Lynch, consistentemente aconselha as pessoas a investir somente no que entendem. Os investidores devem estar atentos para a possibilidade de que um jargão complexo esconde inconsistências suspeitas. Algumas oportunidades de investimento parecem atraentes simplesmente porque elas são descritas em termos impressionantes e complicados. As estratégias de investimento e os produtos financeiros devem ser claros e compreensíveis.

2. Adeque a estratégia de investimento com o desempenho informado

A estratégia de investimento declarada do Stanford era fácil de entender, mas era incompatível com o retorno prometido. Ele oferecia certificados de depósitos (CDs) que pretendiam pagar 3,5% mais do que os oferecidos por outras empresas. Um mês antes, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) acusou o Stanford de fraude de investimento. Alex Dalmady, um analista financeiro baseado na Venezuela, argumentou que os retornos de investimento, consistentes de forma irrealista, do Stanford eram bons demais para ser verdade.

3. Pergunte sobre auditorias independentes e quem as executa

Peça por demonstrações financeiras auditadas. O auditor deve ser independente, respeitável, e congruente com o tamanho e o escopo da operação de investimento. O auditor do Stanford International Bank era uma empresa de contabilidade local de pequeno porte, baseada em Antigua, o que não está de acordo com a proporção da operação de US $ 8 bilhões.

4. Evite solicitações de e-mail e fraude na internet

A internet é uma maneira de baixo custo para golpistas atingirem milhões de pessoas. Murais online e informativos eletrônicos sobre investimentos também são um terreno fértil para disseminar informações falsas. Muitas vezes, a identidade e os incentivos daqueles que fornecem a pesquisa ou as informações do informativo são desconhecidos, e os investidores devem tratar as informações provenientes de fontes desconhecidas na internet com grande desconfiança.

5. Desconfie de "coisas certas", retornos rápidos e acesso especial
Profissionais legítimos de investimento não prometem apostas certas. Os golpistas muitas vezes fazem a combinação entre segurança e altos retornos parecer plausível, concedendo-lhe "acesso especial" com base na sua relação com um conhecido mútuo ou afiliação com uma religião ou grupo étnico específico. No entanto, ele ofereceu acesso especial aos novos investidores, como forma de atraí-los e perpetuar o seu esquema Ponzi.

Os investidores também devem entender claramente os termos para resgatar ações ou sair do investimento. Quando isto pode ser feito e quais são as taxas?

6. Entenda qual, se houver, supervisão regulatória existe
A regulamentação varia conforme o país e o tipo de investimento. Os fundos de hedge, por exemplo, são menos regulados do que os fundos mútuos e consultores off-shore podem estar sujeitos a uma supervisão menos rigorosa em alguns países. Como os investidores não-americanos do Stanford (por exemplo, Covisal) podem atestar, investimentos no exterior devem ser tratados com cautela porque é muito mais difícil de localizar e recuperar o seu dinheiro no exterior caso algo saia errado.

7. Avalie o risco operacional e de infra-estrutura

Operações de gestão de investimento devem ter uma infra-estrutura física para a negociação e administração. Elas também devem ter processos e controles documentados.

Cada vez mais, as firmas de investimento estão reivindicando o cumprimento do Código Especialista em finanças dá dicas para evitar fraudes nos investimentos de Especialista em finanças dá dicas para evitar fraudes nos investimentos Conduta de Gerente de Ativos do CFA Institute, que define procedimentos profissionais e éticos de uma empresa.

Também é importante que uma firma tenha operações separadas e independentes de gestão de ativos, negociação e custódia para oferecer verificações e balanços contra a fraude. Nick Leeson derrubou o Barings Bank, uma instituição financeira mais de 100 anos de idade, em 1995, porque esses controles não existiam. Os investidores devem solicitar informações sobre a documentação sobre esses controles importantes.

8. Avalie o pessoal


Por fim, a confiabilidade de qualquer operação é baseada na integridade e na competência de seu pessoal. Investidores informados conhecem quem gerencia os ativos (ou seja, toma decisões de investimento) e quem implementa a estratégia de investimento (isto é, faz a negociação). Elas devem ser pessoas distintas, com experiência, educação e formação relevantes. Investidores astutos procuram por credenciais profissionais reconhecidas, como a designação Chartered Financial Analyst (CFA), e profissionais que obedecem a um código de ética que os obriga a colocar os interesses dos clientes à frente dos seus próprios.

9. Faça uma verificação de antecedentes

É importante ter tempo para verificar condenações passadas, investigações pendentes, ou ações judiciais. Os investidores podem muitas vezes encontrar essas informações e verificar o registro de um profissional com um regulador nacional, tais como as apresentadas na tabela. Os investidores devem ser cautelosos quando pressionados para tomar uma decisão de investimento antes de terem tempo para investigar.

10. Limite a sua exposição

A diversificação é um dos princípios de investimento mais duradouro e fundamental, mesmo fora do âmbito da fraude de investimento. Uma das maneiras mais seguras de evitar a catástrofe associada com a fraude de investimento é limitar o tamanho do investimento. Limitar a exposição a 5 ou 10% de um portfólio proporciona alguma proteção se um dos investimentos for fraudulento.

Stephen Horan, PhD, CFA - Chefe de Relações com Universidades e Private Wealth do CFA Institute. É especialista em educação financeira, Investment Management e Private Wealth. PhD em Finanças com especialização em Economia pela Universidade Estadual de Nova York, Horan recebeu a certificação CFA em 1993. O executivo lidera uma equipe de especialistas que desenvolve os conteúdos educacionais para os membros do CFA Institute. Antes de ingressar na instituição, foi professor de finanças na St. Bonaventure University, diretor da Alesco Advisors LLC, analista financeiro e economista. Horan é autor de Private Wealth: Wealth Management na Prática, guia completo para investimentos pessoais e gestão de fortunas, publicado em duas edições da Forbes Stock Market Course.



Também poderá gostar de...

0 Comentários