Os consumidores brasileiros estão comprando mais pela internet, é o que aponta o segundo estudo 2012 Brazil Digital Future in Focus, realizado pela comScore. O número de pessoas que compraram pela internet aumentou 30% no ano passado em relação a 2010. A pesquisa também revelou que entre as categorias de sites analisados, os comparadores de preços foram os mais procurados pelos compradores, pois um em cada três consumidores fez pesquisas nesses sites em dezembro de 2011. O estudo aponta ainda que no último mês do ano, foram realizados 6,9 milhões de buscas, um aumento de 37% frente a dezembro do ano passado.

Investimentos em inovação devem aumentar 50% em 2012 ante 2011, anuncia presidente do BNDES na CNI em São Paulo

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, anunciou nesta sexta-feira, 23 de março, que os desembolsos para projetos de inovação na indústria devem aumentar em 50% neste ano na comparação com 2011, quando foram investidos R$ 3 bilhões. Coutinho participou da reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), promovida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em São Paulo, com presidentes de empresas como Vale, Braskem, Ford, Natura e Odebrecht, entre outras.

De acordo com Coutinho, a expectativa é que o BNDES destine em torno de R$ 4,5 bilhões só para inovação. “Boa parte desses recursos deverão ser investidos em micros e pequenas empresas, que estão começando a investir mais nessa área.”

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, acrescentou que, além dos investimentos diretos em inovação nas empresas, o BNDES já aprovou um financiamento de R$ 1,5 bilhão ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Esses recursos, somados a mais R$ 400 mil do próprio SENAI, serão investidos em 32 centros de pesquisas.

“Em dois anos vamos construir esses centros em diversos estados, aproveitando as potencialidades regionais, entre os quais o de produtos de madeira, no Acre, e o de biotecnologia, na Amazônia”, informou Andrade.

Incentivos – O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, que também participou da reunião da MEI, adiantou que o governo vai incentivar o investimento privado em inovação na expectativa de que, até 2015, os dispêndios entre os setores público e privado sejam iguais. Hoje, o governo destina à inovação o equivalente a 0,61% do Produto Interno Bruto (PIB) ante 0,55% investidos pelas empresas.

“A nossa política visa estimular os empresários para serem protagonistas no sistema de ciência e tecnologia", disse o ministro, acrescentando que o governo está formatando incentivos, isenções e desoneração da folha de pagamento. Isso, segundo ele, dará aos empresários condições de aumentar a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação nas indústrias.

                

Também poderá gostar de...

0 Comentários