Estimulada pelo fortalecimento da demanda doméstica e crescimento das exportações, o mercado de leite deve continuar crescendo em 2012. Essa é a previsão da Leite Brasil, associação que representa os produtores brasileiros.

O setor fechou 2011 com uma produção total próxima de 31 bilhões de litros de leite, um modesto crescimento de 1% em relação ao ano de 2010. Para 2012, a produção brasileira deve se elevar para 32,3 bilhões de litros, um crescimento de 4%.

“O principal motivo para a produção ter ficado praticamente estável em 2011 foi o elevado custo de produção, que desestimulou os produtores. Em 2012, a Leite Brasil aposta na recuperação da rentabilidade e queda nos preços das commodities para reduzir os custos, fazendo com que o mercado volte a crescer dentro da média histórica dos últimos 10 anos”, explica o presidente da Leite Brasil, Jorge Rubez.

O consumo de leite projetado para 2012 é de aproximadamente 170 litros por habitante, um aumento de cerca de 2% em relação a 2011, porém ainda abaixo do recomendado pelo Ministério da Saúde, de 200 litros per capita por ano.

Os preços pagos aos produtores tiveram uma boa recuperação em 2011, com variação nominal positiva de 17%. Apesar disso, o ganho foi neutralizado pelo aumento nos custos de produção, que variaram cerca de 20%, segundo a Embrapa.

“Recomendo ao produtor de leite dar prioridade à administração dos custos de produção, principalmente alimentação do gado e mão de obra, que está se tornando escassa nas propriedades leiteiras”, aconselha Rubez.

O executivo também reforça a importância de os produtores de leite melhorarem a tecnologia empregada na produção. “Isso certamente vai possibilitar que sua atividade seja mais lucrativa”, completa Rubez.

Comércio exterior

A expectativa da Leite Brasil é que as exportações de lácteos cresçam em 2012, chegando a um volume de 362 milhões de litros de leite, um crescimento de 15% em relação a 2011. Já as importações devem recuar 30% em comparação a 2011, chegando a 888 milhões de litros de leite no ano.

Um estudo da associação de produtores projeta que, em 2012, a participação das importações no total de leite disponível será de 2,7%. Este índice alcançou 4% em 2011. A redução nas importações brasileiras deve ocorrer principalmente em função de acordos de cota no Mercosul e uma pequena melhoria nos níveis de exportação, apesar de não haver boas expectativas para o câmbio.

Mais uma vez, as empresas de laticínios que passam por inspeção vão contribuir para o combate aos produtos informais, beneficiando os consumidores. “Estimamos que a produção de leite inspecionado deva crescer em torno de 10% ao ano, forçando uma queda no leite informal”, completa Rubez.

Também poderá gostar de...

0 Comentários