O número de ações de cobrança por falta de pagamento da taxa de condomínio caiu 15,76% em 2011, na comparação com o ano anterior, conforme apurou o Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), em levantamento realizado nos fóruns da cidade de São Paulo.

De janeiro a dezembro, foram ajuizados 9.947 processos, contra 11.808 em igual período de 2010. O resultado confirma o ciclo de baixa iniciado em 2007 (15.902 ações), 2008 (13.084 ações) e 2009 (11.459 ações).

O levantamento indicou ainda queda de 33,68% nos processos em dezembro, com 579 casos, contra 873 no mês anterior. Em comparação ao último mês de 2010, o número caiu 27,99% (804 casos).

Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP e diretor do Grupo Hubert, credita a redução ao momento favorável da economia brasileira, já que as pessoas estão buscando regularizar suas pendências financeiras, por meio de acordos extrajudiciais. “O acordo é vantajoso para as duas partes – condomínio e condômino –, pois uma ação de cobrança dessa natureza pode levar vários anos para ser resolvida.”

Outro fator apontado pelo dirigente é a Lei 13.160, em vigor desde julho de 2008. “A possilidade de protesto de boleto do condomínio tem conseguido frear a inadimplência”, constata Gebara, que aconselha os síndicos e administradoras a negociarem com os inadimplentes, buscando conscientizá-los da importância desse pagamento para a manutenção da saúde financeira do prédio.  

Também poderá gostar de...

0 Comentários