A balança comercial do agronegócio teve um desempenho recorde em 2011, o melhor ano para o setor desde 1997. As exportações brasileiras somaram US$ 94,59 bilhões, o que representa 24% a mais que o valor alcançado em 2010, que totalizou U$ 76,4 bilhões. Para este ano, a meta do Ministério da Agricultura é ultrapassar US$ 100 bilhões, com estimativa de 5,7% de crescimento. Os mercados da União Européia, Estados Unidos, China, Rússia e Japão são os principais destinos dos produtos nacionais comercializados.

O setor agropecuário tem um saldo cerca de três vezes superior ao acumulado no resultado global da balança brasileira, que fechou o último ano com superávit de U$ 29,8 bilhões. O Brasil também importou mais produtos agropecuários, num total de US$ 17,08 bilhões, um valor 28% superior ao registrado em 2010. Assim, a balança comercial do agronegócio fechou 2011 com um superávit de US$ 77,51 bilhões.

As importações brasileiras de produtos agropecuários atingiram US$ 17,08 bilhões no ano passado, um valor 28% superior ao registrado em 2010, o que resultou num superávit de US$ 77,51 bilhões na balança comercial do agronegócio de 2011. O saldo do setor agropecuário é quase três vezes superior ao acumulado no resultado global da balança comercial brasileira, que fechou o ano de 2011 com superávit de US$ 29,8 bilhões.

Mercados - Os principais mercados em 2011 foram Ásia e União Européia que, juntos, respondem por 57,4% do total exportado pelo agronegócio brasileiro, o que equivale a US$ 54,34 bilhões. A performance deste ano foi melhor que em 2010, quanto o total de vendas para estes mercados equivaliam a 56,8% do conjunto de exportações, cerca de US$ 43,38 bilhões. Outros mercados importantes são o Oriente Médio (10,1%), dos países do Nafta - Estados Unidos, México e Canadá - (8,5%) e da África, excluindo Oriente Médio (8%).

Países - A China foi o principal destino das exportações dos produtos de agronegócios brasileiros, com US$ 16,51 bilhões do total de U$ 94 bi totalizado em 2011. Grande parte do volume exportado para os chineses corresponde às vendas de soja em grãos (US$ 10,96 bilhões), celulose (US$ 1,3 bilhão) e açúcar (US$ 1,22 bilhão). Estes três produtos representaram 81,6% do total das exportações do agronegócio brasileiro para os chineses em 2011. Os outros países que, de forma individualizada, mais foram destinos do embarque de produtos brasileiros foram os Estados Unidos, com US$ 6,70 bilhões, os Países Baixos (US$ 6,36 bilhões), Rússia (US$ 4,05 bilhões), Japão (US$ 3,52 bilhões) e Alemanha (US$ 3,50 bilhões).

Crescimento dos produtos - As exportações de soja em grãos cresceram 47,8% em valor (US$ 11,03 bilhões para US$ 16,31 bilhões), em decorrência de um aumento de 30,3% no preço médio de venda. O volume de grão de soja exportado também cresceu em 13,5%. As exportações de farelo e óleo de soja somaram, respectivamente, US$ 5,69 bilhões e US$ 2,13 bilhões em 2011.

A receita com vendas externas do complexo sucroalcooleiro foi de US$ 16,18 bilhões, no último ano, um crescimento de 17,45% em relação a 2010, em decorrência do aumento de 29,9% no preço de venda, apesar da queda de 9,6% na quantidade exportada no período (29,52 milhões para 26,70 milhões de toneladas).

O terceiro setor com melhor desempenho nas exportações, o das carnes, acumularam vendas de US$ 15,64 bilhões, uma expansão de 14,8% em relação a 2010. O setor foi responsável por 16,5% do montante total das vendas externas do agronegócio em 2011. A carne de frango com mais destaque, com vendas que somaram US$ 7,49 bilhões, 19,9% a mais do que o ano anterior.

Também poderá gostar de...

0 Comentários